Não tem como negar: o Brasil é o país do boleto. Criado em 1993 para mais segurança às rotinas de cobrança e facilitar os recebimentos, gerar boletos bancários é tão conveniente que é o método utilizado em 50 milhões de transações todo mês.

Gerar boletos bancários facilita seu controle financeiro, o faturamento e ajuda na redução da inadimplência.

Os boletos são uma excelente forma de cobrança, tanto para as avulsas quanto para as recorrentes, como é o caso de mensalidades. Agora, com as novas regras do boleto, eles podem ser pagos em qualquer instituição financeira.

Neste artigo, vamos falar deste meio de pagamento através dos seguintes tópicos:

  1. O que é e como funciona o boleto bancário;
  2. Vantagens na utilização do boleto;
  3. Tipos de boleto;
  4. Como gerar boletos bancários;
  5. Como estipular multas e juros em cobranças.

1. O que é e como funciona o boleto bancário?

Boleto bancário é uma opção de cobrança na qual a pessoa que o emite (beneficiário) recebe o dinheiro diretamente em sua conta corrente. Já a pessoa que vai pagar (pagador), pode realizar o pagamento em qualquer banco, aplicativo financeiro, casas lotéricas e até pela internet.

O boleto conta com um código de barras e outro numérico, através do qual o sistema bancário é capaz de identificar unicamente o título, processar o pagamento e enviar essas informações para o emitente. O documento também conta com uma data de vencimento, podendo ser acrescentadas informações de multa e juros para pagamentos após o vencimento.

Anteriormente à implantação da Nova Plataforma de Cobranças, existiam boletos sem registro e com registro. Porém, atualmente, todos os boletos emitidos são obrigatoriamente registrados.

Desta forma, todas as informações sobre o pagador, beneficiário e cobrança estão centralizadas nesta plataforma central de boletos comum à todas as instituições financeiras.

Resumindo…

Em suma, o boleto bancário funciona da seguinte maneira:

  1. Beneficiário (emissor) emite o boleto;
  2. Pagador recebe o boleto e faz o pagamento;
  3. Boleto é definido como quitado pelas instituições financeiras e valor é creditado na conta do beneficiário.

como gerar boletos bancários

Exemplo de boleto bancário

2. As vantagens do boleto 

As vantagens do boleto bancário são,

  • Meio de pagamento seguro, evitando fraudes;
  • Tarifa fixa* por operação de boleto entre R$ 2,00 e R$ 5,00, o que confere uma economia quando comparado a outros meios de pagamento;
  • Tempo curto para o recebimento do valor em conta;
  • Pagamento pode ser feito em qualquer banco ou app financeiro;
  • Facilita o controle financeiro;
  • Eficaz na combate à inadimplência;
  • Profissionaliza a cobrança.

*Quando emitido diretamente com o banco, para um mesmo boleto podem ser cobradas várias tarifas para cada tipo de operação: cancelamento, liquidação, manutenção de boleto vencido, expiração, etc. Quando emitido por intermediadores, padrão de mercado é que seja uma única tarifa por boleto.

O estudo “O brasileiro e sua relação com o dinheiro”, divulgado em 2018 pelo Banco Central do Brasil, mostra que a grande maioria dos pagamentos realizados no país são feitos com dinheiro em espécie, seguidos de cartão e transferência.

Para o varejo e transações do dia a dia, esses meios de pagamento são apropriados. Já para pagamento de contas (água, luz, internet, etc) e cobranças, o boleto como um meio de pagamento é bastante apropriado e oficializa a cobrança.

Um ponto positivo de gerar boletos bancários é sua flexibilidade de pagamento. Assim sendo, o pagador pode pagar o boleto através de sua conta bancária, app financeiro, lotérica, direto no banco ou até mesmo em supermercados. Assim, o pagador tem diversas opções para pagar o boleto, o que aumenta a taxa de recebimentos do beneficiário.

A atual obrigatoriedade do registro de todos os boletos emitidos, facilita o controle financeiro e ajuda na redução de fraudes.

Podemos concluir que, por toda flexibilidade e segurança oferecida, o boleto bancário é uma excelente opção para oficializar a cobrança, manter o controle financeiro e combater a inadimplência.

3. Tipos de boleto

São dois os principais formatos de emissão de boleto: avulso e carnê.

Boletos avulsos são emitidos para pagamento único de um produto ou serviço. É um boleto registrado, o mais comum dos boletos.

O carnê é uma série de boletos avulsos. São emitidos ao mesmo tempo com informações correspondentes às parcelas de uma cobrança de um produto ou serviço. É bastante comum em escolas, para cobrança das mensalidades de um aluno.

4. Como gerar boletos bancários?

Para gerar boletos bancários existem duas opções:

  • Emissão direta com banco / instituição financeira;
  • Emissão de boletos através de um intermediador;

Ao final deste tópico, teremos uma breve discussão sobre qual é a melhor opção, bancos ou intermediadores.

Banco/Instituição Financeira

A princípio, para emissão de boletos diretamente com um banco, é preciso entrar em contato com o banco e negociar um contrato para emissão de boletos. Os boletos emitidos precisam obrigatoriamente estar relacionados a uma conta corrente – é nessa conta que serão creditados os valores recebidos.

A emissão de boletos bancários através do banco é mais comum para pessoas jurídicas. Apesar de não haver uma restrição específica, é comum ter complicações com o banco ao tentar ativar a emissão de boletos através de conta de pessoa física.

As taxas de emissão de boletos são variáveis de acordo com a negociação com o banco. Geralmente, quanto mais boletos forem emitidos, menores serão as taxas. Via de regra, as taxas ficam entre R$ 2,00 e R$ 5,00, por operação de boleto.

Então, habilitada a emissão de boletos, basta acessar o app (ou site) do banco e preencher as informações necessárias (da cobrança e do seu cliente) para emitir os boletos.

Intermediadores

A segunda opção é gerar boletos bancários através de empresas que oferecem este serviço de emissão e intermediação de pagamentos. Estas empresas são chamadas de intermediadores.

Sobretudo, além de um sistema para emissão dos boletos, é comum que essas empresas ofereçam serviços que facilitem a gestão dos boletos emitidos e acompanhamento dos pagamentos.

Existem diversos tipos de intermediadores, cada um com sua proposta específica de valor. Desde empresas focadas exclusivamente na emissão facilitada de boletos, como empresas que oferecem soluções completas de pagamento, gestão e cobranças.

Por exemplo, PagSeguro, PayPal e MercadoPago, são empresas com foco em soluções de pagamento. Enquanto, Fatura Simples, Juno e Iugu oferecem sistemas completos para gestão de cobranças, pagamentos e financeiro.

Qual melhor opção para emissão de boleto: banco ou intermediador?

Via de regra, intermediadores oferecem uma experiência facilitada na contratação, ativação e emissão dos boletos – além de tarifas mais baixas.

Contudo, vale a pena emitir boletos com o banco se o pacote de emissão contratado já inclui uma cota de boletos gratuitos ou se são pouquíssimos boletos (menos de 10). Caso contrário, os intermediadores são mais vantajosos em todos os aspectos.

Dado que você emite mais que 10 boletos mensalmente ou não tem boletos gratuitos incluso no pacote contratado com o banco, o que você precisa ponderar é qual intermediador faz mais sentido para a sua operação.

Se você precisa apenas emitir boletos (ou receber via cartão de crédito) de maneira avulsa e não estruturada, uma plataforma como a PagSeguro te atenderá bem. Caso precise de um pouco mais de controle, como cadastro de clientes e acompanhamento de cobranças, a Juno pode ser uma boa opção.

Se sua necessidade envolve um fluxo completo de captura e cadastro de clientes, cobrança de mensalidades, notificações de vencimento, emissão de notas fiscais, gestão financeira e relatórios, a Fatura Simples é a solução ideal para você.

Então, uma escolha bem feita impactará positivamente a estratégia, operação e crescimento do seu negócio, com resultados que vão além da facilidade na emissão de boletos, como melhoria na gestão, profissionalização das cobranças e redução da inadimplência.

5. Multa e Juros nos boletos bancários

Existem dois tipos de penalidade para o atraso no pagamento de boleto. São eles:

  • Multa – penalidade única para o atraso no pagamento de um boleto. A multa aplicada deve ser no máximo 2% do valor do boleto.
  • Juros – é a penalidade diária a partir do vencimento de um boleto. Por Lei, o juro de um boleto deve ser estipulado em no máximo 1% ao mês.

Estes parâmetros são definidos pelo Código de Defesa do Consumidor.

Descomplicando a gestão de pagamentos

Em síntece, a agilidade nos processos de cobrança é um fator crucial em todo negócio. A utilização de um sistema de gestão de cobranças permite otimizar rotinas de faturamento, integrando a realização de suas vendas à emissão de notas fiscais, ao envio de boletos e cobranças, e a gestão financeira.

Dessa maneira, todo o acompanhamento, da venda à conciliação bancária, é realizada em um único software, otimizando o gerenciamento de recebimentos, principalmente para um volume alto ou crescente de clientes.

A Fatura Simples é especialista em gestão e otimização de cobranças e faturamento. Oferecemos uma solução completa para:

  • controle de pagamentos e cobranças;
  • emissão de boletos bancários e notas fiscais;
  • gestão de mensalidades, assinaturas e vendas recorrentes.

Se você leu até aqui, a Fatura Simples pode transformar sua operação financeira, tornando-a eficiente, eficaz e escalável.

Acredita que precisa de um Intermediador para emissão de boletos e gestão completa da sua operação de faturamento? Solicite contato!

Escreva um comentário

Share This